Novo denuncia aumento na cota dos gabinetes da Assembleia

A Bancada do NOVO considera inoportuno e desproporcional o aumento na cota básica dos gabinetes parlamentares da Assembleia Legislativa. A Mesa Diretora, em resolução no dia 22 de dezembro de 2021, mais que dobrou o valor destinado para a utilização em material de expediente, postagem, indenização de uso particular de veículos, passagens aéreas, entre outros. O Partido NOVO estima que, se todos os deputados utilizarem a totalidade da cota básica com os reajustes, o impacto anual pode chegar a R$ 12 milhões.

A cota básica mensal, para cada parlamentar, passou de R$ 14,8 mil para R$ 32,2 mil, um aumento de aproximadamente 120%. Já o valor destinado para os líderes de bancada, de partido e integrantes da Mesa Diretora também foi reajustado (de R$ 16,6 mil para R$ 36,2 mil), assim como para os vice-líderes (R$ 15,4 mil para R$ 33,5 mil).

Os deputados do NOVO, Giuseppe Riesgo e Fábio Ostermann, avaliam esse aumento como descabido, tendo em vista o cenário ainda delicado das finanças do Estado e a situação da economia gaúcha, se recuperando dos efeitos da pandemia. Os parlamentares criticam a falta de transparência da decisão tomada pela Mesa Diretora, às vésperas das festas de final de ano e no início do recesso parlamentar.

“No apagar das luzes de 2021, a Assembleia Legislativa entregou um presente de grego para a população gaúcha, que vem sofrendo com os efeitos econômicos da pandemia. Como parlamentares, devemos dar o exemplo diante da crise e respeitar o dinheiro do pagador de impostos”, criticam Ostermann e Riesgo.

Uma das justificativas da Mesa Diretora para o aumento foi o reajuste do valor indenizado por quilômetro rodado em veículo particular, considerando o reajuste no preço da gasolina. O valor passou de R$ 1,46 por quilômetro para R$ 1,79. Na avaliação da Bancada do NOVO, o tamanho do aumento global da quota não se justifica. “Se era somente para dar conta desse reajuste da indenização veicular, bastava um aumento de 12% na quota básica”, pontuam os deputados do NOVO.

ECONOMIA DO NOVO

Giuseppe Riesgo e Fábio Ostermann, ao contrário do posicionamento da Mesa Diretora da Assembleia, vêm cortando gastos e são os deputados mais econômicos da Casa. Até o momento, com redução no número de assessores, cortes nas verbas de gabinete e sem utilizar diárias, os deputados já conseguiram economizar aproximadamente R$ 7 milhões.