Observatório da Volta às Aulas registra avanços na retomada de atividades de ensino no RS

O número de municípios que já retomou as atividades presenciais de ensino cresceu nos últimos dias no Rio Grande do Sul. Esse foi o resultado constatado pelo Observatório da Volta às Aulas, iniciativa do mandato do deputado Fábio Ostermann (NOVO), que classifica as cidades com sinal verde, amarelo ou vermelho. No último levantamento, verificou-se que 79% das 262 cidades gaúchas pesquisadas autorizaram a retomada das aulas.

“O último levantamento do nosso Observatório traz uma boa notícia para a sociedade gaúcha, com o aumento do número de municípios que autorizaram a volta às aulas. Por outro lado, ainda temos 53 cidades com restrições para o retorno ou com atraso na retomada. Seguiremos monitorando a situação e cobrando soluções dos prefeitos, pois os prejuízos no aprendizado das crianças e jovens que estão proibidos de frequentar a escolas são imensuráveis”, alerta Ostermann.

Para realizar esse trabalho, o Observatório da Volta às Aulas conta a participação ativa da sociedade civil, por meio de apoiadores do mandato do deputado Fábio Ostermann, além de buscar informações nas redes sociais, em notícias da imprensa e por meio do contato direto com as prefeituras.

AVANÇOS NO RETORNO

São Gabriel e Santo Ângelo, por exemplo, são alguns dos municípios em sinal verde que avançaram e têm calendário para a reabertura das escolas. Assim como Osório, São Jerônimo e Passo Fundo, em que as prefeituras já apresentaram um cronograma de retorno, no mês de junho, pelo menos para os anos iniciais do Ensino Fundamental. No caso da cidade do Planalto Médio gaúcho, a administração municipal ainda não divulgou as datas para os anos finais.

RETROCESSOS NO RETORNO

Mesmo com alguns avanços, 40 municípios estão classificados com sinal vermelho, com destaque para cidades como Vacaria, Eldorado do Sul, São José do Norte e Rosário do Sul, que estão com as aulas presenciais nas redes municipais totalmente suspensas. Em Pelotas, a prefeitura previa retomar as aulas no dia 16 de junho, mas adiou o retorno para o segundo semestre, ainda sem data prevista.